ORGANIZAÇÃO DOS APOSENTADOS E PENSIONISTAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
ORGANIZAÇÃO DOS APOSENTADOS E PENSIONISTAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
Bem-vindo

Combate à violência contra o idoso será prioridade

O anúncio foi feito durante a solenidade de instalação da Comissão Extraordinária do Idoso na quarta-feira, 11 de novembro.

Foi instalada oficialmente, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), a Comissão Extraordinária do Idoso. De acordo com o presidente da comissão, deputado Isauro Calais (PMN), o enfrentamento da violência contra essa parcela da população será prioridade dos trabalhos. A solenidade, realizada na tarde desta quarta-feira (11/11/15), contou com a presença dos secretários de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social e de Direitos Humanos, André Quintão e Nilmário Miranda, respectivamente.

Segundo o parlamentar, a cada 10 minutos um idoso é agredido no Brasil. Para ele, é necessário implementar políticas capazes de coibir a situação de vulnerabilidade na qual se encontram as pessoas com mais de 60 anos. Isauro defende medidas como tornar crime hediondo o homicídio de idosos, a criação de delegacias especiais em cidades polo e a ampliação da rede de proteção social.

O deputado lembra ainda que o número de idosos vai duplicar em duas décadas no Estado. Hoje, 12% da população mineira é composta por pessoas com idade superior a 60 anos. Isauro Calais alerta que as projeções exigem dos governos e da sociedade maior planejamento, a fim de assegurar a dignidade dessas pessoas e a sustentabilidade das contas públicas, uma vez que implica em aumento de despesas como a da previdência social.

Já o secretário estadual André Quintão defendeu a mudança cultural da sociedade. Ele ressaltou a importância das ações que visam promover a inclusão da pessoa idosa no convívio social. Também explicou que é preciso dar conhecimento aos benefícios aos quais os idosos têm direito como o pagamento do benefício de prestação continuada (valor de um salário mínimo destinado àqueles que não têm acesso a benefícios previdenciários como a aposentadoria e não têm renda familiar).

Nilmário Miranda, secretário de Direitos Humanos, falou sobre as 280 conferências realizadas em cidades mineiras para ouvir as demandas dessa população. Ele explicou que os eventos foram promovidos nos municípios que já formalizaram os Conselhos Municipais do Idoso: “Temos 853 municípios em Minas, nem mesmo metade deles conseguiram implementar esses espaços. Devemos trabalhar para expandi-los”.

Produzido por HDesign